MEU MARIDO QUIS ME VER COM OUTROS HOMENS

Longas sessões de sexo oral, metade das posições do Kama Sutra e o mais íntimo dos sexos. Tudo isso fez parte do pacote de experiências que Cris*, arquiteta de 32 anos, viveu ao topar a proposta de seu amor.


Felipe garantia que, no lugar de acanhada, eu ficaria excitada. Nunca tinha ouvido falar em wife sharing, mas a expressão surgiu na minha vida durante uma noite de queijos e vinhos com Felipe, meu marido. É uma nova denominação para uma velha fantasia: enquanto a mulher transa com algum cara, o fiel esposo assiste a tudo no mesmo quarto. Bizarro? Pois foi o que pensei quando o Fê me perguntou se eu aceitaria ser "emprestada" a outro. Fiquei perplexa: como assim fazer sexo na frente do homem cujo nome está gravado na minha aliança?Estávamos juntos havia quatro anos - dois deles sob o mesmo teto - e nunca esperei ouvir uma proposta dessas. A gente se conheceu ainda na adolescência. Aos 18 anos, Felipe era o melhor partido da cidade: lindo, esportista, herdeiro de uma fortuna... e o maior galinha da paróquia! Já tinha ficado com todas as minhas amigas quando esbarramos em uma festa. Eu tinha 14 anos e, confesso, fiquei impressionada com seu interesse por mim. Mas também era bastante esperta para saber que seria apenas mais uma figurinha na coleção do rapaz. Dispensei a cantada e saí incólume - pelo menos daquela vez.Pouco tempo depois, fiquei sabendo que ele viajara para estudar engenharia na Europa. Terminei o 2º grau, mudei de cidade para cursar arquitetura, curti muito a vida e só retornei a Florianópolis, onde moramos, aos 28 anos. Àquela altura, ele também já tinha voltado do exterior, assumido os negócios do pai e virado um homem - e que homem! Nos encontramos num bar por acaso. Não o reconheci, mas o dito-cujo se lembrava perfeitamente de mim e até do fora que levou! Nossa conversa durou apenas dois minutos, o suficiente para eu não tirá-lo da cabeça. Quando nos reencontramos, grudamos - e não nos largamos mais.Com o Felipe, minha vida ficou completa. Desde a primeira vez o sexo foi incrível, e, parece mentira, só melhorou com o passar dos anos. Depois dele, eu, que nunca tinha sido fiel a nenhum namorado, não conseguia mais olhar para o lado. Não faltava nada em nossa vida - pelo menos era o que eu achava até aquele jantar. Depois de esvaziarmos duas garrafas de vinho, ele me apareceu com esta: "Você já ouviu falar de wife sharing?" Não, eu não fazia idéia do que seria, e o nome (algo como "compartilhamento de esposa") me soava esquisito. Pedi, então, que me explicasse. "É aquela fantasia do marido de ver a mulher fazendo sexo com outro homem", respondeu ele. "Fico louco de tesão só de imaginar você transando com um estranho na minha frente", completou.Como estávamos um tanto quanto embriagados, o susto virou piada. "Você está louco?!", perguntei. "Que coisa bizarra!" Felipe explicou que ninguém o excitava como eu, mas que, de tanto ver como impressiono os homens na rua, começou a pensar a respeito. Minha reação imediata foi dizer um redondíssimo não. Primeiro: não queria transar com mais ninguém. Segundo: mesmo se desejasse, não faria isso com meu casamento, que era bom demais para pôr em risco. Terceiro: eu não sabia se conseguiria transar com meu marido olhando.
Felipe garantia que, no lugar de acanhada, eu ficaria excitada. "Escolheremos o homem certo, bom de cama e discreto", dizia para me convencer. "Você faz com ele tudo o que tiver vontade. Depois vamos para casa e nunca mais vemos o cara", disse. "E você?", perguntei. "Quero saber como minha mulherzinha transa com outros homens, ver o prazer que dá e sente", repetia o danado, como se fosse a coisa mais natural do mundo.Transamos aquela noite com ele aos sussurros no meu ouvido, descrevendo o que os outros amantes fariam comigo e como eu me comportaria. Nos dias que se seguiram, voltamos à rotina. Meu marido, espertinho, sabe que o melhor jeito de me convencer é não insistir. Apesar disso, comecei a olhar para outros homens e imaginá-los na cama, ao mesmo tempo que me apavorava só de imaginar como morreria de culpa no dia seguinte.Uma semana depois, ele trouxe o assunto à tona e perguntou se eu pensara nele. Respondi com honestidade e acrescentei que a resposta era não. Imagine arriscar nosso casamento por uma fantasia, por mais excitante que fosse! Então, chegamos a um acordo: a idéia poderia surgir nas nossas conversas na cama, mas não sairia de lá. Assim foi, até que o Fê mandou um e-mail, no meio do trabalho, com o link de um site especializado em wife sharing. Havia milhares de pessoas cadastradas: homens oferecendo a esposa, mulheres procurando homens para satisfazê-las diante do marido, caras simplesmente a fim de transar... Fotos inimagináveis e o perfil dos interessados eram anexadas às ofertas, como nos classificados de um jornal virtual. Pode parecer estranho, mas ver aquilo me aliviou - não éramos o único casal no mundo a falar sobre essa loucura.O Felipe então propôs levar um pouco mais longe o nosso acordo: e se nos inscrevêssemos, só para ver o que aconteceria? Assim, poderíamos também participar dos chats e seria excitante. Resisti um pouco, mas a verdade é que estava doida de curiosidade. Naquela noite mesmo entramos na internet e preenchemos a ficha, com direito a fotos minhas sem roupa (o rosto, lógico, não apareceu). Foram poucos minutos até sermos inundados por convites de outros internautas, todos interessados em transar comigo. Eles queriam saber quais eram as minhas posições preferidas e prometiam realizar cada um dos meus desejos.Por dois meses entramos no site noite sim, noite não. Estar incógnita e ser desejada por tantos amantes tinha mesmo um poder afrodisíaco. Não era tudo perfeito, claro: a maioria dos caras está ali apenas para se excitar. Só falam palavrões, são grosseiros, querem ir direto ao ponto, cometem erros de português desanimadores, mandam fotos pavorosas. Também há pérolas, claro. Em oito semanas, fiz sexo virtual com uns 50 homens, sempre com o Fê do lado, se deliciando com a minha safadeza, dando sugestões para eu deixar os sujeitos do outro lado loucos de vontade de me devorar. Com alguns deles os "encontros" eram mais freqüentes. Pareciam homens interessantes de verdade, com quem a conversa poderia incluir algo além de sexo. Desligávamos o computador com tanto tesão que a fantasia evoluiu. Formulamos as regras: encontraríamos os "eleitos" em outra cidade, em lugares públicos. Conversaríamos antes e, só depois de aprovarmos a pessoa, seguiríamos juntos para o motel. A qualquer momento, eu poderia mudar de idéia. E nunca mais, em hipótese alguma, voltaríamos a ver o homem em questão. Marcamos o primeiro encontro em um bar de São Paulo, a centenas de quilômetros da nossa casa. Tarso, como ele se apresentava, chegou com alguns minutos de atraso. Piloto de helicóptero, divorciado, 37 anos, moreno, sarado, alto, cabelo raspado, olhos verdes, queixo quadrado, cara de homem com H maiúsculo - o sujeito era mesmo um pedaço de mau caminho.
Admito que os primeiros minutos de conversa são esquisitos - todo mundo sabe o que foi fazer ali, mas finge que não tem idéia. Tomei a iniciativa de perguntar como ele entrou na onda. Tarso contou que sempre teve verdadeira tara por mulheres casadas e já praticava wife sharing havia anos. Conhecia muito bem as regras e aceitaria as nossas. Conversamos sobre assuntos banais, mas era difícil disfarçar a excitação. Sacando o clima, ele pediu licença, momento em que eu e Felipe dissemos sim um para o outro. Na volta, Tarso sentou do meu lado e me beijou. Enfiou a mão por baixo do vestido e levou a minha até sua braguilha. Abri os olhos algumas vezes e vi o Fê excitadíssimo, tentando acompanhar o que acontecia sob a mesa. Desencanei de vez e deixei rolar. Por pouco não transamos ali mesmo.Quando ficou indisfarçável, fomos para o motel. O Felipe na frente, dirigindo; eu atrás, com Tarso. Ele tirou meu vestido, beijou meus seios, abriu a calça... Enquanto isso, o Fê observava pelo retrovisor. Na suíte, fomos direto para a cama. Nem precisamos de preliminares. Transamos por uma hora antes de desmaiarmos de tanto chegar ao clímax. Meu marido? Sentado na cadeira ao lado da cama, assistiu a tudo e fez sexo solo. Enquanto transávamos, Tarso fazia comentários para ele. "Nossa, como a sua mulher é gostosa..." Olhei muitas vezes para o Fê, em busca de aprovação - e também para provocá-lo. Ele devolvia o olhar cheio de paixão. Só quem experimenta consegue entender esse tipo de sintonia.Tarso e eu transamos outras três vezes aquela noite. Longas sessões de sexo oral, praticamente metade das posições do Kama Sutra e até o mais íntimo dos sexos, o anal. Sempre de camisinha, claro. Perdi a conta de quantas vezes fui aos céus, a ponto de gritar - na maioria das vezes sou bem contida. O Felipe só assistiu e, em alguns momentos, manteve o rosto a alguns centímetros de nós, como se fosse um cientista estudando pela primeira vez aquele encaixe fabuloso. Parecia nem piscar.Saímos de lá direto para o nosso hotel. Meu amante, não tenho uma palavra melhor para chamá-lo, ficou no caminho, sem despedidas nem promessas de reencontro. Nas 24 horas seguintes, Felipe e eu transamos sem parar. Nunca o vi tão excitado. Foi diferente de todas as nossas transas. Ele tentava se superar e ser ainda melhor que o homem que me teve horas antes. Conseguiu. Havia amor, paixão, desejo e intimidade em doses sobrenaturais. Terminamos com muitos "Eu te amo".Nos meses seguintes, nem sequer entramos no site. Não precisávamos - aquela noite foi inesquecível e serviu de combustível por muito tempo. Até que o Fê sugeriu nova investida. Escolhemos outro dos nossos preferidos e marcamos a data, numa cidade diferente. Dessa vez, porém, não rolou: o cara não me atraiu e saímos do bar sozinhos. Um mês depois, encontramos o terceiro da lista: Gustavo, quarentão, com o maior equipamento que já vi na vida. Passamos uma noite ainda mais intensa. Ele não se cansava nunca e gastamos metade do estoque de camisinhas do motel.Faz dois anos que começamos esse jogo. Já transei com oito amantes na frente do Felipe. Dei sorte de escolher bem: todos ótimos na cama, realizaram meus desejos, me encheram de elogios. Nunca reencontramos nenhum deles. Poderíamos parar agora, e tenho certeza de que nossa vida sexual continuaria maravilhosa. Pode parecer estranho, mas o Fê permanece ciumentíssimo em outras ocasiões. Por exemplo, ele odeia todos os meus ex-namorados. Não sei exatamente qual é o efeito psicológico de realizar essa fantasia. Entre nós, funciona assim: ao me ver desejada por outros, o Felipe se sente mais viril por ser o verdadeiro "dono". E, diante dos meus gemidos com a concorrência, capricha para não perder o posto de número 1. Além disso, a aprovação desses homens faz com que ele se reapaixone por mim - como se revisitasse as minhas qualidades através do olhar alheio. Apesar de tudo isso, por mais prazer que eu sinta com outros, eles só me ajudam a enxergar quanto meu marido é incrível - e realmente o único para mim.* Os nomes foram trocados para preserva a identidade da entrevistada.Nota da redação
Ao conversar com sexólogos, Nova descobriu: dos homens a fim de reafirmar sua virilidade com a ousadia, vários não suportam quando vêem outro dar mais prazer à 
sua parceira.


Depoimento a Valentina Kazan


fonte do texto

14 comentários:

  1. nossa que loucura, nem parece real..... rs.... eu tenho vontade de fazer com duas mulheres, e minha esposa sente muito tesão sobre o assunto, só que ao mesmo tempo ciúmes, então acho melhor não arriscar nosso relacionamento........

    ResponderExcluir
  2. Pra vc mulher,que se sente só,carente,mal amada que seu marido não da mais muita atenção depois do casamento ou seja que não te dá mais carinho,atenção,amor,prazer ou simplesmente não gosta mais de sair com vc ou até andar de mãos dadas ou vc mulher que busca aventura ,que tem vontade e curiosidade para trair saber como é ver e deixar acontecer come é que busca sigilo ou vc que já curte aventuras no seu casamento sem seu marido saber ou seu marido também sabendo ou até vc mulher que gosta de um acompanhante que faz tudo,que já conhece como funciona.....
    Meu nome é KARLOS EDUARDO FERREIRA e é um prazer!!!!
    Sou acompanhante mais um acompanhante que faz como vc quer,com amor,com selvageria,com delicadeza,com força,fantasias e muito mais....
    Estou sempre disponível para vocês,para atende-la onde melhor se sentir,fazendas,motéis,hotéis,cidades vizinhas onde você desejar realizar suas fantasias,até mesmo em suas casas;não tenho limites de dias vc é quem manda e sou eu que obedeço,quero que saia ao seu gosto minhas lindas.....
    Sou moreno claro(pardo)
    Olhos:castanhos claros
    Cabelo:pretos
    Lábios:grossos
    Altura:1,73
    Peso:80 kg
    Físico:nem magro e nem gordo (forte)
    Idade:25 anos
    Não fumo,bebo regularmente,não uso nenhum tipo de droga(nunca usei,nem cigarro),adoro baladas e tudo de bom que a vida pode oferecer....
    Email:kaduferreira12@hotmail.com
    Facebook: http://www.facebook.com/karlos.eduardo.9883
    Fotos e telephones só por email ou facebook
    ESPERO QUE TENHA GOSTADO DO MEU PERFIL,TE AGUARDO LINDA.....

    ResponderExcluir
  3. somos um kasal que gostaria de fazer a mesma coisa
    bbzzinha@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Karol! Te garanto que é muito bom, isso tem mantido nossa relação muito aquecida, dá muito tesão!!!
      Pra vc ter uma idéia, os casais amigos que não sabem dessa nossa pratica levam uma vida sexual monótona e chata e não entendem como temos tanto tesão um pelo outro e tb não damos a dica pq são preconceituosos e iriam rotular negativamente essa nossa pratica sexual deliciosa.
      Bjs e boa sorte c/ mto tesão!!!

      Excluir
  4. Ver a esposa transando com outro homem proporciona um prazer imenso!!!
    ...mas tem de haver desejos, cumplicidade, confiança e comprometimento na relação.
    Sem dúvida aquece a relação e estimula o sexo de forma intensa, de fato renova as energias do casamento! ...não entendo o porque mas acho que é por conta da cumplicidade em quebrar tabu... sei lá! Mas que é bom isso é!!!

    ResponderExcluir
  5. sou casado com uma gatinha de 25 aninhos deliciosa seios fartos bunda redondinha eu adoraria ve-la fodendo com outro macho porem ELA NÃO ACEITA essa ideia de jeito nenhum!!! peço sua ajuda encarecidamente me ajude aconvence-la a foder com outros machos! esse é meu maior sonho e aquele que conseguir me ajudar terá como premio minha gatinha todinha pra fazer o que quiser com ela!!!! gostaria de conhecer pessoas que conheam principios de HIPNOSE ou se voce conhecer alguem que seja um hipnologo me ajudem por favor!!!! venha se deliciar com minha gatinha!!!

    entre em contato

    fernandinhasafada@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. ola td bem?
    eu tenho a mesma tara que seu marido, minha esposa sabe e curti transa virtual, mas nunca marcamos um encontro, temos tara que isso aconteça ela fica com o maior tesão quando conversamos sobre o assunto.
    ela já transou com 3 homens no site e curti um negrão ela já transou com ele 3 vezes.
    quem quiser contato e mais informação é cam_pinas2012@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. SOU UM HOMEM LIBERAL, 44 ANOS E JÁ TIVE VÁRIAS MULHERES, DUAS DELAS QUE TIVERAM RELAÇÃO COM OUTRO E FICO MUITO EXCITADO COM ISSO. A SEGUNDA EU ATÉ INCENTIVAVA E ELA ME CONTAVA TODOS OS DETALHES. HOJE ESTOU SÓ E GOSTARIA DE CONHECER ALGUÉM ASSIM QUE GOSTE DA LIBERDADE, PORÉM EU POSSO SER FIEL. SOU DE SÃO PAULO E MEU EMAIL É gionkarlos@hotmail.com OU gionkarlos01@gmail.com.

    ResponderExcluir
  8. Tenho tesão enorme em mulher comprometida.. Ajudo vc a fazer ela querer outra pica.. adoro ver como as mulheres podem ser safadas e gostosas quando são bem comidas,, . whats 19 98922 4148,

    ResponderExcluir
  9. Sou amigo branco, 40tão, sarado, dotadão, sigiloso, discreto, higienico, profissional da saude nivel superior, em busca de casal pra curtir gostoso sexo prazeroso e duradouro..sou do RJ-Bonsucesso..contato...skyp...tarugovermelho...zap..21 9 6566 0618..Paulo.

    ResponderExcluir
  10. somos de MG,casados a 20 anos ela tem 36a eu 43,fui o único homem dela até mês passado(pelo menos penso assim),bom,comecei a ter esse desejo de vê-la com outro a uns 6 meses,nas nossas muitíssimas trepadas comecei a propor isso a ela que inicialmente negava veementemente,fui indo com jeitinho,falando,a excitando,nossas transas se tornaram quase que diárias,coisa pouco frequente antes,não sou muito bem dotado,16cm mas sei usar muito bem,depois de muito insistir fui notando o interesse dela,finalmente aceitou,mas desde que fosse com um garoto de programa,resolvemos ir para a capital BH,100 km de nossa cidade,chegando lá acessou sites e foi anotando diversos telefones,me surpreendi estava decidida,ligou para vários até que acertou legal com um de 23anos e 22 cm de dote,em 1 hora chegou em nosso hotel,tomaram um vinho e eu só observava,logo o cara partiu pra cima e fiquei espantado com a audácia de minha mulher,pegou o pau do cara e engoliu todinho,era enorme mesmo,eles fizeram um 69 sensacional,logo depois o cara vestiu a camisinha e partiu pra dentro,achei que ela não ia aguentar,a xoxotinha dela engoliu a vara do cara todinha,e como gemia a putinha,confesso ter ficado um pouco enciumado,mas adorei,percebi o quanto ela estava gozando no pau do rapaz e ele feliz por estar fudendo uma bucetinha gostosa,foram 2 horas de sexo,ela só não deixou o atrás porque era muito grande,no mais cavalgou,papai mãe,de quatro,fez de tudo,satisfeita pagou os 350 reais do rapaz e ele se foi,tomamos um banho e nos amamos tão intensamente como nunca havia acontecido,continuamos a transar quase todos os dias nos lembrando de nossa gostosa aventura e imaginando outras que virão,de nossa parte valeu muito a pena.

    email para contato
    rezende3sss@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá casal, não se trata de tentar, mas de elogiar você por vontade própria, sei que não precisão e nem fazem questão de elogios, mas acho que elogiar você é uma questão de educação, de retribuição de verdade. Vale a pena elogiar sim! Ainda que nem leiam. Linda de tudo! Parabéns marido, pelo privilegio de ter, ver e provar você. Estou para o casal onde o marido, queria. Dar mas prazer para a esposa tendo prazer com isso. Adoraria conhecê-los e juntos fazermos um gostoso ménage. Que dia vem ao Recife amigo ? skype ebron.costa96 81 91690235

      Excluir
  11. Tesão de. Rabo...Adoro mulher comprometida... Posso Ajudar vc a fazer dela uma puta.,, ja ajudei outros aqui do site whats (47) 92126411. Tenho exp. Em fazer elas terem desejo de outro macho... ou se quiser exibi-la vou adoroa ajudar.....mais ainda vou querer foder ela toda na sua frente . rsrs

    ResponderExcluir